(51) 3224-2244 (51) 99354-3068 portosol@portosol.org.br

Blog

Pensando investir em uma hamburgueria?

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

O hambúrguer chegou aos Estados Unidos na segunda metade do século 19 por imigrantes alemães embarcados no porto de Hamburgo. De lá para cá, a iguaria ganhou novas receitas, sabores, texturas e, claro, investimentos. Na última década, houve uma alta de 575% nesse ninho, de acordo com levantamento realizado pelo Instituto Gastronomia. A procura se deu justamente pela criatividade, apresentação e diversidade do lanche.

Para quem está procurando economizar até o empreendimento se tornar lucrativo, o ideal é começar pelo modelo delivery. O investimento acaba sendo basicamente utensílios de cozinha, matéria prima e profissional de cozinha, que pode ser da sua própria família. O bom é que desta forma é possível fidelizar a clientela antes de fazer um investimento mais arriscado.

Confira abaixo 5 dicas para se destacar no mercado do hambúrguer gourmet:

Menu diferenciado: buscar referências gastronômicas de mistura de texturas e sabores de ingredientes é o que vai trazer novos clientes;

Apresentação: o que vai fazer um cliente optar pelo seu produto no aplicativo de comidas é uma boa foto e disposição dos ingredientes. A imagem precisa mostrar o quanto o lanche é apetitoso;

Sabor: o que fará o cliente querer experimentar outros sabores e indicar o seu estabelecimento é a qualidade. Então, nada de economizar em ingredientes de qualidade;

Promoções e combos: às vezes, a primeira forma de atrair pessoas é o desconto, seja criativo;

Boa experiência: caprichar na embalagem, escrever uma mensagem de agradecimento a mão e mostrar que esse cliente é importante, fará toda a diferença na avaliação e fidelização.

 

De acordo com o Sebrae, as principais exigências legais aplicáveis a este segmento são:

1. Resolução RDC nº. 216, de 15 de setembro de 2004, da ANVISA, a qual determina que restaurantes, lanchonetes, padarias, cantinas, bufês, comissárias, confeitarias, delicatéssens, pastelarias, cozinhas industriais e institucionais, rotisserias e congêneres adotem procedimentos para se adequarem ao Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. As Boas Práticas são um conjunto de normas que abrangem uma série de requisitos, permitindo a produção dos alimentos com segurança. Quem descumprir o regulamento estará sujeito a multas;

2. Resolução RDC nº. 218, de 29 de julho de 2005. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Higiênico-Sanitários para Manipulação de Alimentos e Bebidas Preparados com Vegetais;

3. Lei nº. 7.967/89. Dispõe sobre o valor das multas por infração à legislação sanitária, altera a Lei nº. 6.437, de 20 de agosto de 1977, e dá outras providências;

4. Portaria SVS/MS nº. 326/97. Aprova o Regulamento Técnico. Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos.

 

Ir Topo